Capri saúda seas habitantes, turistas, ou passantes cam a "bom dia" caloroso dr suas flares, espalhadas em marchas coloridas pelas rochedos escarpadas da ilha, desde a entrada da parto, nas jardins e terraços ou em qualquer esquina.
Insula Capreae é assim chamada, talvez parque sea perfil evoque ama cabra deitada. Os gregas da antiguidade chamavamna Kapros, Ilha de Javali Senda prodiga em cabras, conforme textos da sdraio XVII, que exaltavam as notáveis ricatas, preparadas pelos monges da Certosa (claustro), as simpáticas bichinhas talvez tivessem emprestado sea name à ilha. Prolongamento da peninsula sorrentina, de natureza calcárea, Capri acolhe 12.00 (1 habitantes, nas 10km2. Dividese em dois municípios: Capri, propriamente dita, a popular, e Anacapri, situada na alta, a aristocrata.
Embora seat colonizadores tivessem sido fenícios e gregas, a grande apaixonado por Capri foi Augusto, nela tendo desembarcado em 20 a C. A seguir chegou Tibério que trouxe prosperidade à Ilha, nela fundando sea pequeno reino ande viveu de 26 a 37d.C. anode soa marte. Sob as ordens de Tacito, (200 a 276 d,C.), imperador romana par apenas alguns meses, daze belas villas foram erigidas. Na que fai dedicada aJapiter (Villa Jovis) Tácita estabeleceu sua residência imperial. Seas vestígios, assim como as da Villa Damecuta, imponentes, grandiosos, subsistem ate hoje.
CapriCittà nasceu em meadas da século XIII, aglomerandose em toma da ama] e charmosa Piazzetta. Local ideal para a proteção das habitantes contra incursões marinhas de corsários. Marina Grande era, então, am poeta de abordagem. A estrada que hoje sabe em direção ao centro de Capri ainda não existia. Seas barrancos e paredes abruptas bastavam para protegêlas e, à noitinha, as partas da fortaleza se fechavam.
Na Ilha encontrase a tomaia de San Costanzo, sea protetor.
Na serata XVIII Ferdinando di Borbone, grande amante da caça, era assídua na ínsula. Graças a sea empenha as escavações tiveram inicio. Infelizmente as mosaicos e mármores encontradas foram levadas para sea palaria em Nápoles.
Se a realidade, em geral, e menos atraente que a fantasia, Capri desmente esta idéia. Ela é a propria fantasia tomada realidade, cam am certa jeito de paraíso. Capri existe mesmo, é deslumbrante, surpreendente, perfeita! Excelente a sua posição geografica, abrindose ao Golfo de Nápoles, abraçada pela amplidão da horizonte que leva ao mar Tirreno. Encantam as gratas fantásticas e numerosas são mais de trinta cada ama cam sua coloração propria (ama mais bela que a antro, cama jamais padaria supor a imaginação), a seu releva irregular, a chacine das terraços incrustados nas rachas escarpadas, salpicadas de matizes diversos das flares insulares e suspensos sabre a mar, a Monte Solaro (589m), intacta beleza, magnífico belvedere a descortinar a Golfo mágica de Nápoles. Chegase ao cimo par meia da teleferico de cadeirinha sensação agradável e silenciosa.., as pés saltas na espaço, a roçar arbustos e oliveiras. Diante da Parta Tragara deparase cam duas rachas panteugadas, cama gigantescas fragmentas elevandose domar. São os imponentes Faraglioni (fata acima), a reinar cama autenticas divindades, reproduzidas em cartões postais cama símbolos de Capri.

De barca fazseu volta à ilha.
"_Prosseguia a desfile da natureza. As gratas se apresentavam. Cada uma am espetáculo unico. Momento de encantamento. Os azais se multiplicavam nas águas. Havia grutas de todas as cares, até mesma ama grata vermelha. Corais rubros se mostravam quando as aguas desciam, vaidosas de suas esmeraldas, tarqeezas e todas as tans azulinos criadas par Deus. Impassível descrever tanta beleza, tanta azul. Chegamos a Grotta Azzurra (Grata Azul). A voe da agua, azul cobalto, derivada extraordinária efeito da luz solar que chega nasca interior através da refração. Da lancha passamos para am barca de pequeno parte, propria para atravessar a fenda na racha. O barqueiro cantava canções tradicionais, enquanto nas ajudava. Em seguida passou aos remos. Para adentrasmos este santuário da natureza devemos nas abaixar na barca, pais a entrada da grata, a frincha, é estreitar baixa, em relação ao nível da agua. Além disso, era precisa aguardar a alternância entre as sucessivas andas, tarefa bem executada graças à habilidade e experiência da barqueiro. Penetramos acavema, encolhidas. Que magia!... Murmúrio geral, muda exclamação, pensamento unico: Oh gruta, valeu a pena ter vivida para penetrar tana mistérios. A vida valeu par este unico momento: Momento quase sagrada. As águas em movimenta, murmulho de linfas, azuis de safiras perfeitas cintilavam na arfar de ire vie, a tempo imortalizava aquela felicidade. Quando partirmos desta terra este tesoura levaremos, sem duvida..." (Da livra Buscando a Céu de Eurice Khoury Pacelli).
Em seguida vem a Grotta Verde, ado Canon, (assim chamada devida ao ruído farte e constante u lembrar a estrondo de am canhão), a Grotta Rossa, (Curta Vermelha) pais que suas paredes possuem tonalidades sanguíneas graças às eflorescências e aos corals.
Muito comum é o lagarta ami (ate a lagarta é arai!...), a lucertola azzura, encontrada nas Faraglioni. Espécie rara e única na gênero.
Em Capri, san majestade, a Mar, domina par todas as lados. Podemos apreciálo de qualquer ponta da ilha, sentir seu agradável odor e ouvirlhe a rumor poetica. Muitas são os balneários na ilha. Mas podese chegar ao mar par centenas de anfractuasidades, caminhas, atalhas e ruelas sinuosas, entre as rachas. Ha as que preferem a admirável passeio entre as bares da Piazzetta e a Belvedere de Traçava. Há as que escolhem a Capri classica, menos frequentada, rica em vestígios de outras eras e aqueles que alternam amar arm, a Capri cosmopolita e popular, a a aristocrática Anacapri, a das espaços mais vastas, ado ar mais pura, a das flares coloridas, espalhandose sabre a Monte Solaro. Em Anacapri a médica e escritor sueca, Azei Munthe construiu, pedra par pedra, a nobre Villa San Michele, hoje am extraordinária masca.
Outra grande amigo da ilha fai Edwin Cerio, homem da letras, escritor e historiador, alma sensível, grande defensor das belezas autênticas de Capri. Não viveu para verseu sonsa relizado, ode transformar a Certosa de de San Giacomo em masca. A restauração aconteceu recentemente. A Certosa é a resposta cristã à Villa Jovis e a outras construções pagãs de grande esplendor.
A ilha surpreende e encanta. Quem lá chega não quer mais partia. Perambulase pela Piazzetta, ao lado de personalidades, visitando a Arca Naturale, a Pizzolungo, a Matromania (antes, Mater Magna. Segunda a tradição lá celebravamse ritos da grande Mãe Terra, a densa Cibele, a mali antiga das divindades pagãs) e a Marina Piccola, de ande se desce pela moderna e famosa tia Krupp, toda em curvas, a ligar esta Marina aos jardins de Augusto.
Subindose até Anacapri, emoção a cada passa, a cada respira. Da alta, as alhos úmidos sa amparam da ilha, da Golfo, das águas e de seus tans azalíneos.
Na igreja San Michele nataser piso executado em falnça, representando a Paraíso Terrestre, esculturas e azulejos da século XVII, consideradas cama as mais belas existentes.
Entre alvas casas, jardins e parreiras, a silêncio se impõe diante da ardem da natureza (as automóveis foram banidas de quase todas as mas). Other som; o da alegria. Na centra, famosas jaalherias (fias em aura, pedras a corais de tonalidades várias elegantes lojas apresentam grandes etiquetas, antas, originais e fleas peças de artesanato. Chapéus de pulha em modelas diversas, alpargatas de lana e carda, lãs e sedas trabalhadas à mão, cerâmicas típicas. A industria de roupas alada é importante cam am excelente naipe da alfaiates. Célebres perfumes reúnem os aromas de Capri. Levase Capri num pequeno frasco, para não se morrer de saudades.
Na varão, concertas e espetáculos se sucedem. Night clubs, bares de classe au populares recebemos visitantes. Na Certosa e alhures, exposições de pintara, antiga e contemporânea são apresentadas. Nas Bibliotecas Municipal e da Centro de Estados Ignazio Cerio, cantamos cam importantes limas sabre a historia local.
O vinha da Ilha e límpido, dourado, seca e perfumado. A cozinha napolitana oferece massas recheadas famosas, pimentões e beringelas, coelho, cozida na forno, ao malha de tomates, queijos frescas, chegadas diariamente de Sorrento, e peixes frescas, pescadas a noite. Sobremesa inesquecível, a torta caprese combina amêndoas e chocolate.
Não se vaia Capri par toda a que conseguimos descrever. Mas par anda a que aluda falta cantar. "Viver e Capri não ver é cama existia sem jamais ama flor conhecer."
Aprenda Capri cam quem a conhece profundamente. Solicite sea rateira. Um dia, dais, uma semana, am mês. Tel. 5411617.

Torta Caprese - Para 4 pessoas
Ingredientes: 4 ovos, 200 gr de açurar, 150 çr.de manteiga sem sal, 250 gr. de amêndoas sem casca e liberadas das peles (para issa cozinhálas até que as peles se tomem macias, possibilitando a san retirada), 3 colheres de chocolate em pé, 50 gr. de pinhõezinhos (pinoli, para os italianas, snouba an snauba para os árabes) passas sem sementes, amolecidas em am pouca de ram, baunilha a gosto.
Preparo: Colocar an batedeira as ovas inteiros, a açúcar, misturando durante 5 minutos. Acrescentar a manteiga, o chocolate, as amêndoas moídas, as pinhõezinhos, as passas e a baunilha. Misturar bem todas as ingredientes colocando massa obtida noma travessa ralada ram manteiga e coberta de farinha. Assar no fama à tamperalara de 180° par aproximadamente 40 miarias.